Escola Tradicional em BH Buscará Limitar Uso de Celulares entre Alunos em 2024

O Colégio Santo Agostinho, um dos mais tradicionais de Belo Horizonte, está implementando mudanças em seu regimento interno para lidar com o uso excessivo de celulares entre os estudantes.

A medida foi confirmada pela assessoria de imprensa da escola em resposta às preocupações dos pais sobre o impacto do uso excessivo de celulares na vida escolar.

Um comunicado aos pais destaca as alterações no Regimento Escolar para 2024 e a divulgação de responsabilidades compartilhadas, incluindo restrições ao uso de eletrônicos.

Entre as mudanças, destaca-se a proibição do uso de celulares para atividades pedagógicas para os estudantes até o 7º ano, enfatizando que o celular não é essencial na rotina escolar.

A escola também planeja fortalecer as atividades recreativas entre as crianças, incentivando a interação durante o horário do recreio.

A escola planeja anunciar todas essas mudanças na abertura do ano letivo, destacando o compromisso com um ambiente escolar mais equilibrado.

Além disso, a instituição orienta os pais sobre a importância de restringir o tempo de uso dos celulares por meio de aplicativos, mesmo quando são fornecidos para comunicação após o turno escolar.

Nas redes sociais, os pais expressaram apoio à iniciativa, destacando a necessidade de limites no uso de telas tanto em casa quanto na escola.

Comentários como "Os meninos passam 90% do tempo no celular. Impossível aprender alguma coisa" e "Finalmente tiveram coragem de tomar providências contra o uso abusivo do celular" refletem o apoio dos pais.

Um pai escreveu: "Tomara que os outros colégios sigam o exemplo", expressando a esperança de que outras instituições adotem medidas semelhantes.

O Colégio Santo Agostinho visa criar um ambiente escolar mais equilibrado, promovendo a interação entre os alunos e conscientizando os pais sobre a importância do controle do tempo de tela.

– Em conclusão, as mudanças refletem o compromisso da escola com o desenvolvimento saudável dos estudantes, equilibrando o uso de tecnologia com atividades educacionais e recreativas.